Usina Vertente, da Guarani, comemora resultados da gestão industrial avançada

vertente01As diretorias da Tereos Guarani e da Usina Vertente, localizada em Guaraci (SP), comemoram a evolução dos indicadores operacionais da cogeração e de processos após dois meses de implantação do S-PAA, software de simulação e otimização em tempo real da cogeração e da planta industrial.

— Os resultados são evidentes e superaram nossas expectativas em tão pouco tempo. Ganhamos na estabilização da operação da planta, diminuímos em 40% as perdas na destilaria e outros 5% no consumo específico de energia, bem como aumentamos em 0,45% a extração da moenda e 1% na recuperação da fábrica —, comemora, diretor industrial da Tereos Guarani, grupo do qual a Vertente faz parte.

vertente02“Um efeito colateral do S-PAA foi a melhora de performance na gestão dos processos da planta, através das informações em tempo real proporcionado pelo software”, acrescenta Jardim.

O gerente industrial da Vertente, Roberto Oliveira, apontou a importância da equipe no processo de implantação do software. “O sucesso na implantação de qualquer novo processo está nas pessoas, por isso, os resultados obtidos pelo S-PAA são mérito de toda equipe que se engajou no projeto”.

“Outro benefício da ferramenta é que os operadores, por exemplo, ganharam um olhar técnico do processo como um todo, não apenas do setor de sua responsabilidade”, explica Oliveira. “Nossa proposta é melhorar ainda mais os conhecimentos técnicos da nossa equipe através do software”.

“Os resultados obtidos nos primeiros 40 dias em funcionamento do S-PAA pagam o investimento com a ferramenta”, informa Alexandre Jardim, acrescentando que a expectativa da Tereos Guarani é ampliar o número de laços fechados para outras duas áreas da Vertente, bem como estender a implantação do S-PAA para as demais unidades do grupo.

O COI (Centro Operacional Integrado) foi outra área que ganhou com o software pois, além de centralizar as informações da usina, passou a coordenar a otimização em tempo real de todo o processo da planta. “A otimização em tempo real será a realidade das usinas num futuro próximo e quem já a utiliza saiu na frente”, afirma Alexandre Jardim. “Em geral as usinas até conseguem melhorar os resultados sem a ferramenta, mas o esforço é muito maior”, finaliza.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *